Respiração e Meditação




A prática formal da atenção começa com uma consciência panorâmica do campo sensorial que é o corpo. A respiração tem um papel central. Ao meditar na respiração, abra mão de qualquer imagem de uma coisa invisível que é sugada pelos pulmões e depois bombeada. Igualmente, se você imagina a meditação como um auto-exame da respiração, originado acima da cabeça, também abra mão disso. 

Experimente a respiração como o corpo a experimenta: um ritmo de sensações que começa com o impacto do ar frio inspirado nas aberturas das narinas e que termina com uma corrente morna que sai pelo mesmo ponto momentos depois. Somente quando começamos a prestar uma atenção cuidadosa à respiração é que notamos a série complexa e sutil de sensações envolvidas. A cada inalação e exalação, penetre mais fundo na complexidade dos múltiplos estratos desse ato vital.


Esta meditação utiliza uma técnica simples que desencadea um estado de tranquilidade e relaxamento profundo do corpo e da mente ao mesmo tempo que desenvolve a concentração.

À medida que a mente se aquieta e permanece desperta você vai sentir um estado de consciência mais profundo e tranqüilo. 


Veja na página "O que é meditação" as preliminares para iniciar a meditação.

Esta meditação consiste em observar a nossa respiração.

Concentre-se na respiração, mas inspire e expire normalmente. Não tente controlar ou alterar a respiração deliberadamente. Apenas observe. 

Ao observar a respiração, vai ver que ela muda. Haverá variações na velocidade, no ritmo e na profundidade. Não tente provocar nenhuma alteração. Simplesmente observe.

Pode ser que você se desconcentre de vez em quando, pensando em outras coisas ou prestando atenção aos ruídos externos. Se isso acontecer, volte novamente a atenção para a respiração.

É possível que os pensamentos tornem a voltar, pois a mente não está habituada a ficar por um período de tempo sem pensar, não se irrite, simplesmente volte sua atenção para a respiração.

Vai ter dias em que os pensamentos não vão lhe dar trégua, vai ser uma tarefa árdua manter a mente na respiração, não desanime, volte quantas vezes forem necessárias a atenção para a respiração.

A mente só se conquista com paciência e deterninação, mas de uma forma suave e carinhosa.

Pratique esta técnica durante mais ou menos quinze minutos. Ao final, mantenha os olhos fechados e permaneça relaxado por dois ou três minutos.

Saia do estado de meditação gradualmente, abra os olhos, dê uma boa espregiçada e volte novamente para as atividades diárias.






Um Pensamento de Paz a cada dia
Em Mim há Paz
Sentir Paz
A Paz do Espírito é a Paz Verdadeira
A Paz do Indivíduo será a Paz do Mundo
Luz na Mente e Paz na Alma
nem o céu
nem o mar
-- mas entre eles --
o coração
é o meu lugar




Fonte: Para ser Zen / kailas














Comentários

Postagens mais visitadas