Pais e Filhos



Toda e qualquer pessoa necessita sentir-se amada em algum momento, precisa saber que pode receber carinho quando precisa e que alguém a admira, e dentro de uma família todos podem sentir isso, mesmo com todos os defeitos que essa pessoa possa ter. Dentro de uma família qualquer pessoa se sentirá amada e aceita, por mais rude que a família seja, por mais terrível que seja o seu erro (após passado o primeiro momento de aborrecimento que ele provoca).

Uma família sempre concordará e apoiará os filhos em tudo que eles fazem, desde que estejam coisas razoáveis (dentro das regras familiares) e é ela quem provoca o sentimento de conforto e segurança dos filhos.

Quando a criança ainda é pequena os pais decidem o “onde”, “quando” e “como”, dessa forma tendo grande controle sobre seus filhos e por eles tomam as decisões que consideram corretas. Os pais apreciam esse certo controle que possuem sobre os filhos, e em muitos momentos sentem-se felizes com essa dependência que seus filhos têm. Mas quando a criança chega ao estágio da adolescência e os pais não têm mais tanto controle dos filhos eles muitas vezes se sentem desesperados. Quantos pais não dizem que sentem saudade da época que seus filhos eram apenas bebês? Admitir que seu filho cresceu equivale a reconhecer que eles estão ficando mais velhos. Muitos pais não se conformam que perderam o “posto” de herói insubstituível do filho, e não conseguem suportar o olhar crítico dos jovens.

Há pais que começam a controlar exageradamente a vida dos filhos, como se pudessem com isso, fazer com que eles voltem a ser crianças: não respeitam sua privacidade, querem participar da vida deles de forma integral, e usam para o controle deles, os perigos que existem nessa idade.

O problema muitas vezes não está apenas nos pais, também estão nos filhos. Os filhos por certa ignorância não querem ouvir seus pais, acham que sempre estão certos, e que tem experiência de vida o suficiente para comandar seu próprio destino. A impaciência dos filhos com os pais é muito grande nos dias de hoje, muitas vezes fazendo com que os pais sofram agressões de seus próprios filhos. Está claro que existem pais que criam seus filhos com rancor e impaciência, e como essa foi a única coisa que seus pais te ensinaram, ele te tratará com esses mesmos sentimentos no futuro.

Mas isso não justifica as maldades que muitos filhos fazem com os pais, como dar respostas “mal educadas”, xingar, bater, e até mesmo matar. Muitas destas coisas vêm de influências externas, como colegas que agem dessa mesma forma com seus pais, mas também vem do interior da própria casa, do controle que os pais têm dos filhos. Mas não é espancando, e mal tratando que se resolvem as coisas. Se você trata mal seus filhos, batendo demasiadamente, espancando, xingando,… Sinto muito, mas não espere que ele vá lhe tratar bem no futuro, pois nossos filhos tendem a agir da forma como foram criados,pois as crianças têm que criar em suas mentes que para toda ação existe uma conseqüência, mas a conversa e o diálogo nesse momento é muito mais essencial do que qualquer outra coisa.

Cabe aos pais educar seus filhos para que no futuro eles possam cuidar de si mesmos e também de seus criadores, ensinando e passando o exemplo para eles. A educação implica no uso de autoridade para estabelecer limites; dar ordem e proibir o indispensável que possibilite a criança a controlar seus impulsos: toda criança nasce egoísta; ela passa a respeitar os outros através da educação e da disciplina, mas, principalmente pelo exemplo dos pais.

O maior papel dos pais é educar, compreender e dialogar sempre com seus filhos. E o papel dos filhos é ouvir, respeitar e ter paciência com seus pais, porque muitas vezes, por pior que isso possa parecer, eles sempre estão certos.


A criança não é a miniatura do adulto. A criança é futuro pai do homem, pois procedendo o adulto, este depende de sua formação e evolução. 

Educando a criança evitamos punir o adulto, partimos para uma vida imprevisível cuja frustração nos  reserva realizações, alegrias e felicidades, mas também dor, tristeza e decepções.

Fonte: Pra Que Pensar


Veja este video e entenda muitas coisas que antes não entendia






“A primeira metade de nossa vida é estragada pelos pais. A outra metade, pelos filhos.” - Clarence Darrow

“Os filhos tornam-se para os pais, segundo a educação que recebem, uma recompensa ou um castigo.” - J. Petit Senn

Comentários

Postagens mais visitadas